Registre-se  no MS Macom.com    ENTRAR INICIO    28 OUT    ORDEM    EDGARD   BLOG    CONTATO
MS,  EV       Ano REAA     Hebraico   

Entrar
Login Área Restrita
 
Usuário:
Senha...: 

 

Origem.:
 

 Esqueceu a senha?
  Cadastre-se

Fim de ano
Veja a nossa mensagem de Natal e fim de ano.
BAIXAR

Menu Maçom

Usuários no Site
Irmãos Cadastrados:
Hoje.......: 1
Ontem....: 0
Total Ir.·.: 3094
Último Ir.·.: João Antonio Varela Gomes

Em Confirmação: 54

Estão no Site:
Profanos : 5
Irmãos : 0  
Total: 5
On [Lista Geral]
54.225.57.***
200.243.232.***
187.1.5.***
123.231.104.***
216.244.66.***

Pesquise no Site

Gera Status

Bloco Personalizado

MS Maçom ANO X
2.006 - 2.016



Artigos: Maçônicos > Profanos > As ondas da Instrução…

As ondas da Instrução…

Publicado por Ivair Ximenes [Ivair Ximenes Lopes.] em 12/12/2011

(1335 leituras)

Instruções Maçônicas
Desde a época de Platão, o termo educação foi centro dos debates.
Para ele era dar ao corpo e a alma toda beleza e perfeição que fosse possível. Émile Durkheim a considerava a preparação para a vida. Para Pestalozzi, a educação do ser humano deve responder às necessidades de seu destino e às leis de sua natureza.
Para José Martí, é depositar em cada homem toda a obra da humanidade vivida, é preparar o ser humano para a vida ..



As ondas da Instrução…
Instruções Maçônicas

conhecer, compreender e refletir sobre o mundo

Em síntese, instrução é conjunto das formalidades e informações necessárias para incutir naquele um algo ou ponto necessário, com vistas a dar um norte e ou prestar esclarecimentos ou repassar dados para uso, diante de uma situação, dada como nova.

E ondas, é algo que vem e vai, ora sobressaindo, ora se amoldando ao seu terreno de exercício e outra amoldando de per si, as necessidades e exigências coerentes com o todo.

Pois bem. Simples assim! Não vamos complicar.

Sob o ponto de vista de quem recebe. Este trabalho, que nós maçons, chamamos simbolicamente desbastar a pedra bruta, expressão herdada da maçonaria operativa e que tem sido transportada pela maçonaria especulativa através dos séculos.

Por vezes ouvimos ou lemos que “Devemos ser sempre, eternos aprendizes”.

Isso depende, e vos assento: Não é uma verdade no todo, mas em partes. Aprendizes, enquanto tal, devemos ser sempre instruídos, abertos aos novos desafios, na simplicidade do querer aprender e sempre retornar uma jornada. Mesmo sendo um Mestre experiente, isso não é se portar como um, abnegar de conhecimento e da função, principalmente o Mestre.

Noutro mote, não há essa concepção, pois a maçonaria, é a plena realização de uma caminhada interior, que exige a superação do aprendizado, estuda os fenômenos e chega a incutir uma plenitude dos conhecimentos, necessário ao Maçom Experiente ou erudito. Neste ponto, não pode ficar o maçom fixo, como Aprendiz, o seu progresso é esperado e exigido, não há exigência do tempo, mas certo é que a ampulheta trabalha em seu desfavor, senão o conhecimento seria mitigado, acredito que na essência, não teria então, entendido aquele o espírito do pensador.

È verdade que a Maçonaria exige dos seus membros, dentre outras tantas condições, boa reputação moral, conhecimento do homem médio para entender o seu espírito, confiança num ser supremo. Mas, exige ainda, tolerância para com toda a forma de manifestação de consciência, de religião ou de filosofia, cujos objetivos sejam os de conquistar a verdade, a moral, a paz e o bem-estar social.

Aqui a instrução toma um rumo próprio e individual, conquanto, cada ser, traz consigo, os conhecimentos, experiências e sentimentos que acumula ou somará aqueles que acumulará por sua vida. Tornando-se um viés importante da absorção do conhecimento.

A este viés, aqui chamo de conhecimento natural que há de se transformar numa Instrução individual, que somada ao todo há de coadunar com a “egregora” necessária do conhecimento maçônico.

Certo é que a doutrina maçônica orienta os seus membros a dedicarem-se à felicidade dos seus semelhantes, não somente porque a razão e a moral lhes impõem tal obrigação, mas também porque esse sentimento de solidariedade nos faz irmãos, é o que se observa numa leitura simples do “ritual” do grau.

Podemos dar a instrução uma segunda onda do trabalho maçônico, que consiste na prática do ritual; construção do Templo em que nos encontramos, que seria uma espécie de procedimento esperado, que cada um desenvolve a partir daquele conhecimento revelado na Instrução da primeira onda.

Tudo isso vos afirmo é uma característica maçônica, em que a dinâmica e o simbolismo que nos permitem abrir a mente para a realidade do mundo superior, beneficiando das energias positivas de todos os Irmãos e vencendo todo o tipo de pensamentos negativos.

No exercício da segunda onda, que é a prática ritualista a qual por via energias, promove e potencia o desenvolvimento espiritual do Maçom, que vai aspergir, ou deveria, no mundo dito “profano”. É um trabalho conjunto com enorme projeção individual, em que o indivíduo passa a ter consigo, a característica que o diferencia do profano, o de iniciado.

A esta evolução proporcionada pelas duas primeiras ondas da nossa Instrução, tida aqui apenas como trabalho – instrução, pratica ritualística, realizado a priori no mundo do desconhecido para alguns, não deve levar o maçom a uma interiorização e acanha-lo sobre o seu conhecimento de si próprio, mas deve ser transportada para o exterior, participando na construção do Templo Mundo, contribuindo decisivamente para a transformação do mundo profano, através da valorização da cidadania e do aperfeiçoamento moral e ético da sociedade. È o que chamo aqui de terceira onda da instrução.

Sendo que este culto da tolerância, a fraternidade e a liberdade individual, será uma fonte geradora da tolerância universal entre os homens, a fraternidade que é o ápice da felicidade humana e a liberdade dos seres, tudo numa forma de busca incessante, por vezes utópica, mas necessária, justa e sempre perfeitamente pretendida ao Maçom.

O nosso trabalho, o nosso trabalho, exige a conjugação destas três ondas, número interessante, já bastante debatido, firmado em artigos e que não é o foco deste escrito, mas que coaduna com o pensamento que me veio na divisão que fiz. Para dar ao final uma forma harmoniosa para que seja plenamente conseguido.

Por fim, vos remeto aos meus escritos, os Olhos dos céus e a origem de tudo, pois a ideia primordial da onda é a representação do “Eterno”, aquele que gerou o todo.

Reflitamos!

Ivair Ximenes Lopes

MS Maçom, 09 de setembro de 2011


Navegue pelos artigos
Artigo prévio O Significado da Maçonaria O Hino da Proclamação da República Próximo artigo
Total de votos: 1
Média: 4.0000
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Wandercy Cirilo de Sousa.
Publicado em: 5/2/2012 12:32  Atualizado: 5/2/2012 12:32
Mestre
Usuário desde: 28/1/2012
De:: Cuiaba-MT
Mensagens: 2
 Re: As ondas da Instrução…
WandercyParabens Ir.: Ivair,<br /><br />Texto que faz os Ir.: realmente tomar consciência que deve buscar as respostas que procuramos dentro de si, pois vejo em Loja IIr.: que ficam esperando a revelação do tal segredo e quando cehegam ao Grau de M.: M.:, ficam decepcionados, pensando que o "Segredo" é uma coisa que pode ser comprada o que é cômodo, porém quando despertam que isso tem que ser conquistado ou não gera Lucro, abandonam a Ordem, esqucendo-se da Lealdade que fizeram durante o seu Juramento, traindo a si mesmo.

Pesquisa MS Maçom
 



                     Nosso único propósito: A Maçonaria!










Powered @ 2006-2008 Nobres Desing  Ir.·. Ivair Ximenes  .:. assine os .:. Quem somos?
Site de Informações Maçônicas MSmacom.com.br  Todos direitos de Uso cedidos por consultoria