Registre-se  no MS Macom.com    ENTRAR INICIO    28 OUT    ORDEM    EDGARD   BLOG    CONTATO
 
 Blog MS Maçom  - Ano VII  (04-05-2006)                 MS, EV.     AL.    AM.

Entrar
Login Área Restrita
 
Usuário:
Senha...: 

 

Filiação.:
 

 Esqueceu a senha?
  Cadastre-se

Fim de ano
Veja a nossa mensagem de Natal e fim de ano.
BAIXAR

Menu Maçom

Usuários no Site
Irmãos Cadastrados:
Hoje.......: 1
Ontem....: 0
Total Ir.·.: 2925
Último Ir.·.: Luiz Antonio Domenico

Em Confirmação: 46

Estão no Site:
Profanos : 16
Irmãos : 0  
Total: 16
On [Lista Geral]
180.76.5.***
54.225.57.***
180.76.5.***
202.46.50.***
66.249.65.***
180.76.6.***
180.76.5.***
186.233.184.***
180.76.6.***
180.76.5.***
202.46.48.***
180.76.6.***
180.76.5.***
180.76.5.***
89.145.95.***
180.76.5.***

Som Aleatório
MS Maçom.com.br À G.·.D.·.G.·.A.·.D.·.U.·.

Pesquise no Site

Gera Status

Bloco Personalizado

MS Maçom ANO VIII
2.006 - 2.014



Ano V
 
MS MAÇOM
Artigos: Maçônicos > Profanos > Herodes Antipas

Herodes Antipas

Publicado por IXL [Ivair Ximenes Lopes.] em 2/4/2013

(643 leituras)


Rei da Galiléia e Pérsia (4 a. C.-37), após a morte de Herodes I o Grande (4 a. C.), fundador da dinastia dos Herodes, que, segundo a Bíblia, foi responsável pela lendária morte de João Batista.

Um dos três filhos de Herodes I e deveria reger a Galiléia e o lado oriental do Jordão como tetrarca, enquanto Filipe seria o tetrarca das Colinas de Golan no nordeste e Arquelau tornou-se etnarca, ou líder nacional, da Samaria e da Judéia.



Herodes Antipas
(Rei da Galiléia )
21 a. C. - 44 d. C.


Rei da Galiléia e Pérsia (4 a. C.-37), após a morte de Herodes I o Grande (4 a. C.), fundador da dinastia dos Herodes, que, segundo a Bíblia, foi responsável pela lendária morte de João Batista.

Um dos três filhos de Herodes I e deveria reger a Galiléia e o lado oriental do Jordão como tetrarca, enquanto Filipe seria o tetrarca das Colinas de Golan no nordeste e Arquelau tornou-se etnarca, ou líder nacional, da Samaria e da Judéia. Como o tetrarca da Galiléia e muito prestigiado pelo Imperador Tibério, construiu a capital de sua tetrarquia às margens do lago de Genezaré e chamou-a de Tiberíades, em homenagem ao seu protetor, e nela fixou residência (17 d. C.).

Muito amigo dos romanos e parecido com o pai., casou-se com uma filha do rei nabateu Aretas IV, mas repudiou-a para se casar com Herodíades, mulher de seu meio-irmão HerodesFelipo. Isto lhe custou uma represália do rei nabateu Aretas IV, que, para vingar a filha, atacou-o e derrotou-o (36 d. C). Segundo a tradição bíblica, João Batista criticou seu novo casamento com Herodíades, denunciando esta união como ilegítima. Por isso foi encarcerado a pedido de Herodíades que, não satisfeita com isso, encarregou sua filha Salomé de pedir ao pai a cabeça decapitada do profeta (29 d. C).

Segundo o grande historiador judeu Flávio Josefo, o tetrarca o mandou executar, porque seus discursos possuíam extraordinária força de atração e, assim, ele temia que o prestígio de João, cujos conselhos pareciam ser altamente considerados, levasse o povo à revolta. Por isso mandou prendê-lo e levá-lo para a fortaleza de Maqueronte onde o nobre pregador foi eliminado. Outra passagem bíblica do tetrarca ocorreu por ocasião da prisão de Jesus. Pôncio Pilatos, procurador romano na Judéia, o teria enviado ao tetrarca, mas ele negou-se a julgá-lo e aceitou sua condenação à morte.

Ainda influenciado por Herodíades, pediu ao imperador Calígula o título de rei, mas seu sobrinho Herodes Agrippa I, irmão de Herodíades, acusou-o de deslealdade e de preparar um golpe contra os romanos.

Deposto, foi desterrado para as Gálias (37 d. C), onde morreu alguns anois depois, e sua tetrarquia passou para Herodes Agripa I


WIKIPÉDIA

Após a morte de Herodes, o Grande, seu reino foi desmembrado (ver "Testamento de Herodes"), cabendo a Antipas a tetrarquia da Galileia e da Pereia, que abrangia a região oriental do Jordão, inclusive as cidades helênicas da Decápole. Ele bem que tentou, junto ao Senado Romano, ser reconhecido como rei, mas apesar de ter gasto muito dinheiro com presentes e propinas, não obteve êxito, e teve que se contentar com o que lhe foi concedido.

Quem não se contentou foi Herodias, a ex-mulher de seu irmão, Herodes Filipe, que deixara o marido para viver com ele (em 27 d.C.): ela sempre ambicionou a condição de rainha e essa ambição acabaria custando caro ao casal.

Apesar da Galileia ser tida como uma região habitada por judeus turbulentos, Flávio Josefo afirma que, no governo de Herodes Antipas, não se registraram revoltas ou outras ocorrências similares.

A exceção ficou por conta da prisão de João Batista, cuja pregação messiânica encontrava crescente acolhida entre o povo simples, sobretudo os camponeses, e por isso foi considerada uma ameaça em potencial. Ao abordar o assunto, Josefo limita-se a narrar a prisão do profeta, sem mencionar sua morte, como o fazem os Evangelhos de Mateus e Marcos, onde se encontra a famosa história da "dança de Salomé".

Se no plano interno o governo de Antipas foi tranquilo, o mesmo não se deu no plano externo, na medida em que seus domínios sofreram, em 36, um violento ataque dos nabateus.

A razão do ataque foi Herodias, isso porque, para desposá-la, Antipas repudiou sua esposa, Fasaleia, filha do rei nabateu, Aretas IV. Considerando-se ofendido, o rei invadiu a Galileia, derrotando o exército do tetrarca, e somente recuou devido à intervenção romana.

Foi às margens do Mar da Galileia, perto de fontes sulfurosas, que Antipas fez construir, no ano 20, a capital de sua tetrarquia, denominando-a Tiberíades, em homenagem ao imperador romano, Tibério (a capital anterior era Séforis). A cidade foi edificada sobre as ruínas de uma pequena aldeia, Rakkat, e embora, por muitos anos, os judeus ortodoxos a evitassem, devido ao seu nome e à sua cultura helenizada, ela acabaria se tornando um dos quatro maiores centros do Judaísmo.

De um lado, Antipas fazia concessões à cultura dos "gentios" romanos, mas por outro cultivava a tradição religiosa judaica, deslocando-se, anualmente, para Jerusalém, onde participava das festividades da Páscoa (Pessach).

Josefo afirma que a queda Antipas começou quando seu sobrinho, Herodes Agripa I, que herdara a tetrarquia de Filipe, foi reconhecido como rei pelo imperador Calígula. Influenciado por Herodias, Antipas foi a Roma para exigir a mesma honraria. Mas Agripa antecipou-se a ele, fazendo chegar uma mensagem ao imperador, onde acusava o tio de conspirar com os Partos, inimigos do Império Romano. Chegando a Roma, Antipas não somente teve suas pretensões negadas, como ainda perdeu sua tetrarquia, que foi entregue a Agripa.

Exilado para Lião (Gália), em 39, veio a morrer nesse mesmo ano.

Herodes Antipas é criticado nos Evangelhos, onde é chamado por Jesus de "raposa" (Lucas 13:31-32) e acusado pela morte de João Batista. No Evangelho segundo São Lucas, é incluído entre os personagens envolvidos no julgamento e morte de Jesus.


Navegue pelos artigos
Platão Próximo artigo
Total de votos: 1
Média: 5.0000
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Pesquisa MS Maçom
 






Blog Ms Maçom Lojas do MS Twitter MS Maçom Facebook MS Maçom Filo MS Maçom Fale Conosco Pietre-Stones Review of Freemasonry
Ano: 2.006 - 2.007 e 2.008
                     Nosso único propósito: A Maçonaria!

Powered @ 2006-2008 Nobres Desing  Ir.·. Ximenes  .:. assine os .:. Quem somos?
Site de Informações Maçônicas
 MS Macom.com.br  Todos direitos de Uso cedidos por consultoria